Software para formação do preço de venda em pequenas empresas com planilha de custos

clique aqui para fazer o download das planilhas


 

Introdução: 

Nesta apostila, você terá acesso a informações, dicas e planilhas para fazer o controle de custos de sua empresa além de um método para formação do preço de venda de produtos.

vídeo com o resumo prático

 

Neste tutorial você acompanhará um exemplo prático de formação de preço para um determinado produto. No entanto, o método descrito no exemplo também poderá ser utilizado em qualquer tipo de produção de bens ou serviços que envolva custos unitários de material direto, de mão-de-obra direta e também os custos unitários fixos e indiretos.

As planilhas utilizadas no exemplo podem ser vistas na figura abaixo:

formapre_sele

5. Preços e Custos na Indústria ou Comércio

Não importa o tipo de produto que a sua empresa vende, o preço que você cobra dos seus clientes terá um efeito direto sobre o sucesso do seu negócio.

Embora as estratégias de preço possam ser complexas, as regras básicas de preços são simples:

  • Todos os preços devem cobrir os custos e lucros;
  • A maneira mais eficiente para reduzir os preços é reduzindo os custos;
  • Os preços devem ser revistos com freqüência para assegurar que eles reflitam a dinâmica de custos, a demanda do mercado, a resposta à concorrência e os objetivos de lucro;
  • Os preços devem ser estabelecidos para garantir as vendas.

Antes de definir o preço do produto você deverá conhecer os custos de funcionamento de seu negócio.

Se o preço do produto não cobrir os custos, o fluxo de caixa será negativo, os recursos financeiros se esgotarão e o negócio fracassará.

É importante saber adicionar o lucro nos cálculos de custos. Trate o lucro como um custo fixo, como um pagamento de empréstimo ou folha de pagamento.

Os momentos mais adequados para rever os preços de seus produtos ocorrem quando:

  • Você introduz um novo produto ou linha de produto;
  • Seus custos mudam;
  • Você decide entrar num novo mercado;
  • Seus concorrentes alteram os preços dos produtos;
  • A economia experimenta um momento de inflação ou recessão;
  • Há mudanças na estratégia de vendas.

Apurando os custos de sua empresa, você terá condições de:

  • Estabelecer preços para as suas mercadorias que sejam adequados com a margem de lucro desejada;
  • Receber do consumidor os valores que realmente foram gastos para produção do bem ou serviço;
  • Determinar se o seu capital de giro suporta o pedido de um cliente e assim conhecer o montante de empréstimo que deve ser feito a algum Banco;
  • Verificar se as suas mercadorias podem ser vendidas a um preço igual, acima ou abaixo do seus concorrentes;
  • Repassar ao consumidor os impostos realmente devidos.

 

Veja abaixo os conceitos básicos de Controle de Custos e Formação de Preço.

 5.1 Custos Fixos.

São os valores consumidos ou aplicados que não variam de acordo com a quantidade fabricada, como por exemplo: aluguel, honorários etc.

Exemplo1: Se antes você produzia 100 camisas e agora você produz 800 camisas, mas não houve alteração nas despesas com o aluguel, mão de obra, honorário de Contador, luz e telefone , então estas despesas serão Custos Fixos.

Exemplo2: Gasto com mão-de-obra com salário fixo, independente da produção.

 

 5.2 Custo Variável.

São os valores consumidos que variam de acordo com a quantidade produzida. Os custos variáveis podem ser Diretos ou Indiretos.

Custo Variável Direto (CVD):

É aquele custo que pode ser identificado diretamente na mercadoria fabricada.

Exemplo (Indústria): Gastos com um determinado material ou mão-de-obra (horistas e diaristas), embalagens etc.

 

Custo Variável Indireto (CVI):

É aquele que, embora varie de acordo com a quantidade fabricada, dificilmente pode ser identificado em cada mercadoria.

Exemplo (Indústria): Telefone, luz, propaganda, despesas bancárias, material de escritório  etc.

 

Veja abaixo a lista classificada dos custos mais comuns:

 

Discriminação Custo
Fixo Variável
Custo de Produção - -
Materiais diretos - -
Consumo de materias-primas - x
Mão-de-Obra Direta - -
Salário de operários(*) x -
Gastos indiretos de fabricação - x
Consumo de materiais indiretos - x
Salário de mão-de-obra Indireta(*) x -
Aluguéis x -
Força - x
Energia Elétrica x -
Depreciação de Máquinas e Equipam. x -
Manutenção de Equipamentos x -
Impostos - x
Seguros - x
Custo de Distribuição - -
Despesas de Vendas - -
Salário de vendedores x -
Comissão de vendedores - x
Promoção de produtos x x
Impostos sobre as vendas - x
Despesas com viagens - x
Despesas com telefonemas - x
Despesa com correio - x
Consumo de materia de expediente - x
Despesas de Expedição - -
Despesas com fretes - x
Salário de Motorista(*) x -
Custo de Administração - -
Honorário de diretores x -
Salário do pessoal administrativo(*) x -
Aluguéis x -
Impostos x -
Despesas com telefones x -
Consumo de material de expediente x -

 (*) Se a mão-de-obra receber salários semanal ou mensal será considerada Custo Fixo, se receber conforme a produtividade (incentivo) ou hora trabalhada será considerada como Custo Variável.

 

5.3 Custo Total.

São todos os valores aplicados nas atividades industriais, mercantis ou de prestação de serviços, dentro de um determinado período de tempo, ou seja, é resultado da soma dos custos fixos, variáveis diretos e indiretos na empresa.

 

5.4 Custeio.

É um método ou sistema para distribuição do custo total da empresa pelos produtos, mercadorias ou serviços.

 

Custeio por Taxa

É um sistema de custeio utilizado para ratear (dividir) os custos totais em cada unidade fabricada. O método consiste em aplicar taxas sobre os custos identificados nas mercadorias (custos variáveis direto) para se obter, por aproximação, os demais custos (variáveis indiretos e fixo).

Exemplo:

Se os Custos Totais Gerais da Empresa estão divididos da seguinte forma:

  • Custos Fixos: R$ 10.000,00
  • Custos Variáveis Diretos: R$ 10.500,00
  • Custos Variáveis Indiretos: R$ 5.000,00
  • Custos Totais Gerais da Empresa: R$ 25.500,00

Então, seguindo esta proporção, pode-se afirmar que a composição dos Custos Totais Unitários do produto será:

  • Custos Fixos: R$ 0,94
  • Custos Variáveis Diretos: R$ 0,98
  • Custos Variáveis Indiretos: R$ 0,48
  • Custos Totais Unitários do Produto: R$ 2,40

Feito isto, basta acrescentar aos Custos Totais Unitário, o lucro e os impostos para encontrar o preço de venda do produto (bem ou serviço).

 

Controle do Processo e Classificação dos Custos

5.5 Etapas do Processo

Assim como todos os sistemas de custeio iPlaniha também percorre 12 etapas:

1 Controle Diário de Entradas e Saídas (Despesas) de capital financeiro;
2 Escolha do mês de referência (podendo, quando necessário, considerar outros valores);
3 Classificação do Custo em: Fixo, Variável Direto e Variável Indireto.
4 Totalização do Custo Geral da Empresa;
5 Determinação das bases de rateio;
6 Cálculo do custo unitário da Mão de Obra Direta no Produto;
7 Cálculo do custo unitário do Material Direto do Produto;
8 Determinação do Total de Custo Variável Direto por Produto;
9 Aplicação das taxas de rateio e determinação dos custos fixos e indiretos do Produto;
10 Totalização do custo total unitário do Produto;
11 Aplicação dos Impostos e Lucro;
12 Apuração do Preço Unitário do Produto (Preço de Venda à Vista).

 

Como subproduto você poderá:

  1. Simular, para várias quantidade de produção do produto, o quanto que será gasto em cada material ou mão-de-obra e o total dispendido com a fabricação. Com isto, será possível saber se a sua empresa tem fôlego financeiro para cumprir um pedido, podendo, inclusive, determinar, com certeza, o montante de empréstimo bancário para dar suporte ao nível de atividade desejado.
  2. Saber quais os ítens de custos que contribuem para o aumento do preço. Desta forma, você poderá negociar ou, até mesmo, mudar de fornecedores.
  3. Conhecer o preço real do produto e assim concorrer de maneira segura no mercado.

 

5.6 As 12 Etapas

1ª Etapa – Controle Diário de Entradas e Saídas

As contas de caixa (figura 1) e suas movimentações são boas origens de informações sobre as entradas e saídas de capital financeiro.

iPlanilha permite que você controle, a cada mês, as entradas e saídas de cada conta. Mas isto é apenas a 1ª Etapa.

caixa2A

figura1 – Fluxo de Caixa: Entradas e Saídas do Caixa.

 

2ª Etapa – Escolha do mês de referência

Agora, através do Menu Custos Gerais (figura 2), você vai começar a apurar os Custos Gerais da Empresa.

 

3ª Etapa – Classificação do Custo em: Fixo, Variável Direto e Variável Indireto

Se você chegou até aqui, então já sabe distinguir os Custos Fixos, Variáveis Diretos e Indiretos.

Ainda na figura 2, você poderá ver a coluna “Clas. Custo” (Cassificação do Custo) onde existem controles com as siglas CF, CVD e CVI, que são respectivamente, os Custos Fixos, Variáveis Diretos e Indiretos. Basta escolher o tipo de custo, para cada conta, que iPlanilha fará a separação para você.

custo_gerais2A

figura 2 – Menu Custos Gerais – Classificação dos Custos


5.6.1 Custos Gerais da Empresa e Base de Rateio

4ª Etapa – Totalização do Custo Geral da Empresa

Agora que você já classificou os custos, é possível visualizar os Custos Gerais da Empresa dividos em Custos Fixos, Variáveis Diretos e Indiretos. Veja na figura 3, como o Menu Custos Gerais mostra esta informação com números e no gráfico abaixo,  extraído do Menu  Graficos>Custos Gerais, a mesma informação de forma visual.

 

grafico-de-custos2A

Gráfico Custos Gerais


5.6.2 Custos Gerais da Empresa e Base de Rateio

5ª Etapa – Determinação das Bases de Rateio

O método consiste em aplicar taxas sobre o custo (custos variáveis direto) identificado em cada produto para se obter, por aproximação, os demais custos (variáveis indiretos e fixo).

Veja na figura 3 um exemplo de cálculo das duas taxas de rateio:

bases-de-rateio2A

figura 3 – Menu Custos Gerais>Bases de Rateio

 

Agora ficou fácil !

Se você tem as bases de rateio, basta calcular os custos variáveis diretos de cada produto que você poderá ter o preço unitário.

Veja isto a seguir.

5.6.3 Cálculo da Mão-de-Obra (MOD) e Material Direto por Produto

Nem todos os custos com os funcionários são iguais.

O pessoal que trabalha diretamente com o produto e não tem salário fixo é chamado de Mão-de-Obra Direta.

Desta forma, numa fábrica, onde a finalidade é produzir bens, todas as pessoas que manipulam o produto, agregando valor tangível (não considerando o fator qualidade e suas conseqüências), é considerada Mão-de-Obra Direta

Para o cálculo da Mão-de-Obra Direta você deverá conhecer:

  1. As tarefa desempenhadas para elaboração do produto;
  2. O custo hora da mão-de-obra direta;
  3. O tempo gasto em cada tarefa para se fazer um produto (Tempo de Ciclo).

O cálculo final do Custo da MOD por produto, é basicamente assim:

Custo da MOD por Produto = Custo Hora da MOD x Tempo de Ciclo

custo-mod2A

figura 4 – Menu Ordem de Produção>Custo da Mão de Obra Direta

 

7ª Etapa – Cálculo do Material Direto no Produto

O Material Direto é mais fácil de identificar do que a Mão-de-Obra Direta.

Material Direto é todo material agregado ao bem com o objetivo de acrescentar valor de uso.

Desta forma, numa confecção onde se fabrica camisas, a malha será Material Direto mas a carne servida no restaurante da fábrica será despesa indireta.

Já num restaurante onde se comercializa a carne, esta será Material Direto, no entanto, o lápis utilizado pelo caixa será despesa indireta.

 

Obs: Repare que neste trecho da Subplanilha existe uma calculadora inserida que facilita o cálculo da quantidade unitária de material.

custo-matdir21A

Custo do Material Direto

 

5.6.4 Custo Direto por Produto, Rateio aplicado e Custo Total do Produto

8ª Etapa – Determinação do Total de Custo Direto por Produto

Já foi mostrado anteriormente que a composição dos custos totais da empresa deverão ser proporcionas ao custo total unitário do produto.

Se existe uma proporção (taxa) que liga os custos fixos, indiretos e diretos geral, a mesma coisa acontecerá com os custos fixos, indiretos e diretos por produto.

Observe o exemplo abaixo e repare que o Custo Variável Direto Total por Produto representa a soma dos Custos dos Materiais Diretos e Secundários + Custo da Mão-de-Obra Direta.

 

9ª Etapa – Aplicação das Taxas de Rateio

Lembra-se das taxas de rateio calculadas na Etapa 5 ?

Pois é…a taxa para cobrir os custos variáveis indiretos aplicada sobre os Custos Variáveis Diretos do Produto, nos ajudam a conhecer os Custos Variáveis Indiretos do Produto.

E a taxa para cobrir os custos fixos aplicada sobre os Custos Variáveis Totais nos ajudam a conhecer os Custos Fixos do Produto.

 

10ª Etapa – Totalização do Custo Geral do Produto (ou Custo Total por Produto)

Pronto!

Já conhecemos todas as parcelas para formar o custo geral do produto, que são:

  1. Custo Variável Direto Total por Produto
  2. Custo Variável Indireto Total por Produto
  3. Custos Fixos por Produto

Somando todos estes custos teremos: O Custo Unitário Total por produto.

parcelas-de-custos21A

figura 6 – Menu Formação de Preço>Custo Unitário Total por produto


5.6.5 Inclusão de Impostos e Formação do Preço Unitário

11ª Etapa – Aplicação dos Impostos e Taxas

Muitos empresários tem dificuldades de especificar quais os impostos que eles devem acrescentar ao Custo Unitário Total afim de repassar ao cliente aquilo que realmente é devido.

Por exemplo, se um comerciante compra gravatas de um outro Estado e não repassa ao consumidor os impostos que ele pagou, com certeza este comerciante vai amargar um prejuízo desnecessário.

 

12ª Etapa – Apuração do Preço Unitário do Produto (Preço de Venda à Vista)

O nosso sistema para formação de preço do produto já está concluído, agora você apenas deverá colocar as informações já calculadas e consideradas, numa fórmula simples e universal para formação do preço:

 

Considerando na figura 7 os impostos que você entrou em nossa Planilha: 

impostos21A

Figura 7 – Menu Empresa>Produto: Impostos e Lucro

 

Importante:  Basta digitar a palavra Lucro que o sistema vai considerar o valor percentual correspondente.

Impostos e Taxas:

  • Custo Unitário Total: R$9,86
  • Soma dos impostos: 36,49%
  • Lucro: 15,00%
Colocando na fórmula do preço unitário do produto, o valor do custo unitário total, os percentuais da soma dos impostos e do lucro, temos: 
prereA
Confira na figura 8 os cálculos realizados pelo sistema iPlanilha: 
preA
figura 8 – Formação do Preço de Venda do Produto

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>